O Ação Jovem

O Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais (AJ) é uma associação sem fins lucrativos que visa desmitificar e aproximar os brasileiros do mercado financeiro e de capitais. A ideia é que mais pessoas entendam como podem utilizar o mercado financeiro como ferramenta para aproveitar oportunidade e controlar e planejar melhor suas finanças (primeiro passo para a realização de sonhos pessoais).

Consequentemente, ao estimular o  consumo consciente e a cultura do investimento pela disseminação dessas informações também ajudamos a fortalecer o Mercado Financeiro e de capitais do Brasil, as empresas que nele atuam, suas instituições e, em última instância, o próprio país.

Grupo - O AJ é formado por uma equipe de jovens voluntários atuantes em diferentes áreas vinculadas ao mercado financeiro (finanças, educação, bolsa de valores, bancos, corretoras, jornalismo, entre outros). Com base em experiências pessoais vividas no próprio mercado, os membros do grupo compartilham entre si o sonho de ajudar brasileiros em seu crescimento pessoal pelo mercado financeiro, disseminando informações e fomentando uma rede de conhecimento. Diversas instituições e entidades contribuem hoje com apoio institucional ao grupo e há uma grande rede de parceiros.

Em termos de financiamento, por ser uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), qualificada pelo Ministério da Justiça desde fevereiro de 2014, podemos receber incentivo financeiro via renúncia fiscal de empresas enquadradas no lucro real.

Nossa História

Com o objetivo de disseminar informações sobre o Mercado de Capitais entre brasileiros, o AJ promoveu, desde sua fundação em 2003, diversos cursos, palestras, seminários, debates e encontros que contaram com a participação de personalidades de renome no Brasil, como Fernando Henrique Cardoso, Aécio Neves, Armínio Fraga, Gustavo Franco, Celso Lafer, José Olympio, Manoel Cintra, Edemir Pinto, Lírio Parissotto, Silvio Vaz, Lélio Lauretti, entre outros muitos nomes de destaque em suas áreas de atuação. No início da nossa jornada, estávamos focados em incentivar o investimento de jovens em ações, meio pelo qual o investidor torna-se sócio de empresas de capital aberto (listadas na Bolsa de Valores). Ser sócio não é apenas dividir lucros, mas também riscos, ter direitos e, por que não, responsabilidades?

Começamos ajudando àqueles que queriam entrar nesse mundo do Mercado de Capitais e entender como ele funcionava, seu objetivo, as alternativas de investimentos, seus riscos e oportunidades. Os cursos que promovemos já receberam mais de 2500 participantes, na maioria jovens, com dúvidas, anseios e comentários que nos ajudaram a moldar o conteúdo e experiência que o grupo tem hoje.

Ao final de 2007 demos o primeiro passo para ampliar nosso escopo de atuação. Nosso Brasil era bem diferente, praticamente outro: a renda crescia, o mercado de trabalho estava aquecido, milhões de pessoas ascenderam à classe média, o acesso a cursos de ensino superior bateu recorde. Em meio a isso, muitos brasileiros de todas as idades se viram em um mundo até então desconhecido, que envolvia conta bancária, taxas, juros, cheque especial, parcelamento, despesas, orçamento, investimentos… E como ficam os sonhos de cada um? Percebemos, então, que nosso papel na sociedade ia além do Mercado de Capitais com foco no público jovem. Precisaríamos falar tanto com aqueles que ingressavam no Mercado Financeiro quanto com aqueles que nele já estavam, mas com muitas dúvidas e receios.

Começamos a enxergar e tratar nosso escopo de trabalho de uma forma mais ampla: o tema Mercado de Capitais seria uma parte importante de um assunto bem maior, o Mercado Financeiro. Foi aí que a palavra “Financeiro” entrou no nome do AJ, simbolizando o início dessa nova fase do grupo e firmando nosso comprometimento com o novo e desafiador objetivo de levar informação sobre o mundo financeiro, pela comunidade jovem, aos brasileiros.

Também percebemos que precisávamos atender a novas demandas que surgiam na vida dos brasileiros, como a necessidade de fazer escolhas conscientes de consumo para conseguir poupar e planejar a realização de seus sonhos. Foi então que os temas Educação FinanceiraFinanças Comportamentais entraram no nosso radar. Fomos, aos poucos, refinando nossa atuação ao longo dos mais de 10 anos de AJ, e, em paralelo, nos estruturando melhor, introduzindo nas discussões de trabalho temas como GovernançaProfissionalismoSustentabilidade. Afinal, a essência do grupo está nesse sentimento de responsabilidade voluntária, em fazer o que considera ser o ideal para a sociedade, com boa gestão e planejamento.

Início – Nosso berço foi a então Bolsa de Valores de São Paulo, Bovespa (hoje BM&FBovespa). Dela, recebemos não apenas apoio financeiro, mas também institucional, os quais agradecemos muito! Essa parceria foi fundamental para o amadurecimento e profissionalismo de nossas ações. O AJ absorveu os ensinamentos e procedimentos de boa governança das empresas de capital aberto e adaptou a sua realidade a estrutura de conselhos e diretoria executiva. Também incorporou objetivos e missão, traçou planos e estratégias de perenidade e sucessão, tudo vindo da premissa de pensamento a longo prazo, termo chave e muito disseminado no mercado de capitais.

Como toda organização não governamental, um fator limitante para nossas ações é o financiamento. Entendemos, em 2013, que para alcançarmos nossos sonhos precisaríamos ampliar nossa fonte de recursos. Foi, então, que, depois de meses de preparação, o AJ qualificou-se  junto ao Ministério da Justiça como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), em fevereiro de 2014. Agora, o AJ pode ser incentivado via renúncia fiscal de empresas enquadradas no lucro real.

Membros

Foto

Presidente: Caio Cordeiro

Nossa estrutura

Comissão de Comunicação

  • Divulgar as ações do grupo para o público interno e externo;
  • Fomentar o relacionamento com os diversos públicos.

Comissão Educacional

  • Coordenar e promover cursos educacionais do Ação Jovem.

Comissão de Eventos

  • Estruturar e organizar palestras, workshops, debates, conferências e outros eventos promovidos pelo Ação Jovem.

Comissão de Parcerias

  • Garantir parcerias sintonizadas com os objetivos do Ação Jovem e;
  • Desenvolver estratégias de patrocínio.

Comissão Sócio-ambiental

  • Promover ações que contribuam para o desenvolvimento do país nas frentes social, política e ambiental.

Comissão de Estudos

  • Estudar a viabilidade de montar um instituto de pesquisa;
  • Avaliar a necessidade de novas pesquisas de opinião sobre o jovem brasileiro
  • Fornecer material (artigos, estudos, etc.) para divulgação na mídia.

Os comentários estão desativados.