• Ação

      Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima.

    • Ação cheia (com)

      Ação cujos direitos (dividendos, bonificação, subscrição) ainda não foram exercidos.

    • Ação com valor nominal

      Ação que tem um valor impresso, estabelecido pelo estatuto da companhia que a emitiu.

    • Ação escritural

      Ação nominativa sem a emissão de certificados, mantida em conta de depósito de seu titular, na instituição depositária que for designada.

    • Ação listada em bolsa

      Ação negociada no pregão de uma bolsa de valores.

    • Ação nominativa

      Ação que identifica o nome de seu proprietário, que é registrado no livro de registro de ações nominativas da empresa.

    • Ação ordinária

      Ação que proporciona participação nos resultados econômicos de uma empresa; confere a seu titular o direito de voto em assembléia.

    • Ação preferencial

      Ação que oferece a seu detentor prioridade no recebimento de dividendos e/ou, no caso de dissolução da empresa, no reembolso de capital. em geral não concede direito a voto em assembléia.

    • Ação sem valor nominal

      Ação para a qual não se convenciona valor de emissão, prevalecendo o preço de mercado por ocasião do lançamento.

    • Ação vazia (ex)

      Ação cujos direitos (dividendo, bonificação, subscrição) já foram exercidos.

    • Ação-objeto

      Valor mobiliário a que se refere uma opção.

    • Acionista

      Aquele que possui ações de uma sociedade anônima.

    • Acionista majoritário

      Aquele que detém uma quantidade tal de ações com direito a voto que lhe permite manter o controle acionário de uma empresa.

    • Acionista minoritário

      Aquele que é detentor de uma quantidade não expressiva (em termos de controle acionário) de ações com direito a voto.

    • Agio

      Diferença, a mais, entre o valor pago e o valor nominal do título.

    • Alavancagem

      1) nível de utilização de recursos de terceiros para aumentar as possibilidades de lucro de uma empresa, aumentando, conseqüentemente, o grau de risco da operação.

      2) possibilidade de controle de um lote de ações, com o emprego de uma fração de seu valor (nos mercados de opções, termo e futuro), enquanto o aplicador se beneficia da valorização desses papéis, que pode implicar significativa elevação de sua taxa de retorno.

    • ANA – aviso de negociação de ações

      Comprovante de operação enviado pela bolsa de valores ao comitente (investidor).

    • Andar de lado

      Mercado fraco, sem tendência definida, estagnado.

    • Aplicação

      Emprego da poupança na aquisição de títulos, com o objetivo de auferir rendimentos.

    • Apregoação

      Ato de apregoar a compra ou venda de ações, mencionando-se o papel, o tipo, a quantidade de títulos e o preço pelo qual se pretende fechar o negócio, executado por um operador, representante de sociedade corretora, na sala de negociações (pregão).

    • Aumento do valor nominal

      Alteração do valor nominal da ação em conseqüência de incorporação de reservas ao capital de uma empresa sem emissão de novas ações.

    • Balancete

      Balanço parcial da situação econômica e do estado patrimonial de uma empresa, referente a um período de seu exercício social.

    • Balanço

      Demonstrativo contábil dos valores do ativo, do passivo e do patrimônio líquido de uma entidade jurídica, relativo a um exercício social completo.

    • Banco central do brasil

      Órgão federal que executa a política monetária do governo, administra as reservas internacionais do país e fiscaliza o sistema financeiro nacional.

    • Banco de títulos cblc – btc

      Serviço de empréstimo de títulos, disponível por meio do sistema eletrônico, no qual os participantes da custódia fungível da cblc, atuando como doadores e tomadores, podem registrar suas ofertas, bem como efetuar o fechamento de operações de empréstimo.

    • Benefícios

      Dividendos, bonificações e/ou direitos de subscrição distribuídos, por uma empresa, a seus acionistas.

    • Block-trade

      Leilão de grande lote de ações nas bolsas de valores.

    • Bloqueio de posição

      Operação pela qual um aplicador impede o exercício de sua posição mediante a compra, em pregão, de uma opção da mesma série da anteriormente lançada.

    • Blue chip

      Em geral, ações de empresas tradicionais e de grande porte, com grande liquidez e procura no mercado de ações.

    • Bolsa de valores

      Associação civil sem fins lucrativos, cujos objetivos básicos são, entre outros, manter local ou sistema de negociação eletrônico, adequados à realização, entre seus membros, de transações de compra e venda de títulos e valores mobiliários; preservar elevados padrões éticos de negociação; e divulgar as operações executadas com rapidez, amplitude e detalhes.

    • Bolsa em alta

      Quando o índice de fechamento de determinado pregão é superior ao índice de fechamento anterior.

    • Bolsa em baixa

      Quando o índice de fechamento de determinado pregão é inferior ao índice de fechamento anterior.

    • Bolsa estável

      Quando o índice de fechamento de determinado pregão está no mesmo nível do índice de fechamento anterior.

    • Bonificação em ações (filhotes)

      Ações emitidas por uma empresa em decorrência de aumento de capital, realizado por incorporação de reservas e/ou de outros recursos, e distribuídas gratuitamente aos acionistas, na proporção da quantidade de ações que já possuem.

    • Bonificação em dinheiro

      Distribuição aos acionistas, além dos dividendos, de valor em dinheiro referente a reservas até então não incorporadas.

    • Bônus de subscrição

      Título negociável que dá direito à subscrição de novas ações, emitido por uma empresa, dentro do limite de aumento de capital autorizado em seu estatuto.

    • Boom

      Fase no mercado de ações em que o volume de transações ultrapassa, acentuadamente, os níveis médios em determinado período, com expressivo aumento das cotações.

    • Cadastro de clientes

      Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes das sociedades corretoras.

    • Caderneta de poupança

      Depósito de poupança, em dinheiro, que acumula juros e correção monetária, cujos recursos são destinados ao financiamento da construção e da compra de imóveis.

    • Caixa de registro e liquidação

      Empresa responsável pela liquidação e compensação das negociações a vista, a termo e de opções, realizadas em bolsa.

    • Call

      Veja opção de compra de ações.

    • Capital

      É a soma de todos os recursos, bens e valores, mobilizados para a constituição de uma empresa.

    • Capital aberto (companhia de)

      Empresa que tem suas ações registradas na comissão de valores mobiliários (cvm) e distribuídas entre um determinado número de acionistas, que podem ser negociadas em bolsas de valores ou no mercado de balcão.

    • Capital autorizado

      Limite estatutário, de competência de assembléia geral ou do conselho de administração, para aumentar o capital social de uma empresa.

    • Capital fechado (companhia de)

      Empresa com capital de propriedade restrita, cujas ações não podem ser negociadas em bolsas de valores ou no mercado de balcão.

    • Capital social

      Montante de capital de uma sociedade anônima que os acionistas vinculam a seu patrimônio como recursos próprios, destinados ao cumprimento dos objetivos da mesma.

    • Capital social subscrito a integralizar

      Parcela de subscrição que o acionista deverá pagar, de acordo com determinação do órgão que autorizou o aumento de capital de uma sociedade.

    • Capital social subscrito e realizado

      Montante de capital social acrescido da parcela de subscrição paga pelo acionista.

    • Capitalização

      Ampliação do patrimônio, via reinversão de resultados ou captação de recursos, pela emissão de ações.

    • Captação

      Obtenção de recursos para aplicação a curto, médio e/ou longo prazos.

    • Carteira de ações

      Conjunto de ações de diferentes empresas, de propriedade de pessoas físicas ou jurídicas.

    • Carteira de títulos

      Conjunto de títulos de rendas fixa e variável, de propriedade de pessoas físicas ou jurídicas.

    • Caução

      Depósito de títulos ou valores efetuados para o credor, visando garantir o cumprimento de obrigação assumida.

    • Cautela

      Certificado que materializa a existência de um determinado número de ações; também chamada título múltiplo.

    • CBLC – companhia brasileira de liquidação e custód

      Sociedade anônima com capital fechado, com sede na capital do estado de são paulo, que provê serviços de compensação, liquidação e controle de risco das operações. a cblc também presta o serviço de custódia fungível de ativos e administra o banco de títulos cblc – btc. é uma organização auto-reguladora, supervisionada pela comissão de valores mobiliários – cvm.

    • Certificado

      Documento que comprova a existência e a posse de determinada quantidade de ações.

    • Certificado de depósito

      Título representativo das ações depositadas em uma instituição financeira. algumas empresas do mercosul são negociadas nas bolsas de valores brasileiras por meio desse mecanismo.

    • Certificado de depósito bancário – CDB

      Título emitido por bancos de investimento e comerciais, representativo de depósitos a prazo.

    • Certificado de desdobro

      Comprovante do desdobramento de um certificado de ações em vários outros.

    • Chamada de bônus

      Resgate de bônus pelo emitente, mediante o pagamento antes do vencimento.

    • Chamada de capital

      Subscrição de ações novas, com ou sem ágio, para aumentar o capital de uma empresa.

    • Cisão

      É o processo de transferência, por uma empresa, de parcelas de seu patrimônio a uma ou mais sociedades, já existentes ou constituídas para esse fim, extinguindo-se a empresa cindida se houver versão de todo o seu patrimônio.

    • Clearing

      Termo utilizado para designar instituições que, como a cblc, prestam serviços de compensação e liquidação de operações realizadas em bolsas de valores ou outros mercados organizados. tais instituições são responsáveis pelo cálculo das obrigações dos participantes do mercado para a liquidação de suas operações, por meio da troca de ativos por seus respectivos valores financeiros, podendo também ser responsáveis pela transferência dos títulos e crédito dos saldos a seus participantes.

    • Clube de investimentos

      Grupo de pessoas físicas (máximo de 150), que aplica recursos de uma carteira diversificada de ações, administrada por uma instituição financeira autorizada.

    • Colocação direta

      Aumento de capital realizado pela subscrição de ações, pelos atuais acionistas, diretamente em uma empresa.

    • Colocação indireta

      Aumento de capital realizado mediante subscrição, no qual a totalidade das ações é adquirida por uma instituição financeira ou por um grupo reunido em consórcio, para posterior colocação no mercado secundário.

    • Combinação de opções

      Compra ou venda de duas ou mais séries de opções sobre a mesma ação-objeto, porém com preços de exercício e/ou datas de vencimento diferentes.

    • Comissão de valores mobiliários – CVM

      Órgão federal que disciplina e fiscaliza o mercado de valores mobiliários.

    • Comissão nacional de bolsas de valores – CNBV

      Associação civil sem fins lucrativos, que tem a função de representar os interesses das bolsas de valores do país perante as autoridades monetárias e reguladoras do mercado.

    • Comitente

      Pessoa que encarrega uma outra de comprar, vender ou praticar qualquer ato, sob suas ordens e por sua conta, mediante certa remuneração a que se dá o nome de comissão.

    • Companhia aberta

      Veja capital aberto.

    • Compra em margem

      Aquisição de ações a vista, com recursos obtidos pelo investidor por meio de um financiamento com uma sociedade corretora que opere em bolsa. é uma modalidade de operação da conta margem.

    • Confirmação

      Aviso que o corretor dá ao cliente da efetivação de uma negociação com ações.

    • Conselho monetário nacional – CMN

      órgão federal responsável pela formulação da política da moeda e do crédito, e pela orientação, regulamentação e controle de todas as atividades financeiras desenvolvidas no país.
      Forma conta margemde negociação de ações que possibilita ao investidor obter, em uma sociedade corretora, financiamento para compra dos títulos e/ou empréstimo dos papéis para venda.
      Essas operações são feitas no mercado a vista de bolsa. O custo e liquidação do financiamento, bem como a remuneração do empréstimo dos títulos e sua devolução, são pactuados diretamente entre o investidor e a corretora.

    • Controle acionário

      Posse, por um acionista ou grupo de acionistas, da maior parcela de ações, com direito a voto, de uma empresa, garantindo o poder de decisão sobre ela.

    • Conversão

      Mudança das características de um título. no caso de ações, pode ser sua transformação, quanto à forma (de nominativa para escritural) ou à espécie (de ordinárias em preferenciais ou vice-versa), dependendo de deliberação de assembléia geral extraordinária e do disposto no estatuto social de uma sociedade anônima.

    • Corretagem

      Taxa de remuneração de um intermediário financeiro na compra ou venda de títulos.

    • Corretor

      Intermediário na compra e venda de títulos.

    • Cotação

      Preço registrado no ato da negociação com títulos em bolsa de valores.

    • Cotação de abertura

      Cotação de um título na primeira operação realizada em um dia de negociação.

    • Cotação de fechamento

      Última cotação de um título em um dia de negociação.

    • Cotação máxima

      A maior cotação atingida por um título no decorrer de um dia de negociação.

    • Cotação média

      Cotação média de um título, constatada no decorrer de um dia de negociação.

    • Cotação mínima

      A menor cotação de um título, constatada no decorrer de um dia de negociação.

    • Crack

      Ocorre quando as cotações das ações declinam velozmente para níveis extremamente baixos.

    • Custódia de títulos

      Serviço de guarda de títulos e de exercício de direitos, prestado aos investidores.

    • Custódia fungível

      Serviço de custódia no qual os valores mobiliários retirados podem não ser os mesmos depositados, embora sejam das mesmas espécie, qualidade e quantidade.

      Deixa de existir a necessidade de se retirar exatamente o mesmo certificado depositado.

    • Custódia infungível

      Serviço de custódia no qual os valores mobiliários depositados são mantidos discriminadamente pelo depositante.

    • Data de exercício da opção

      Data de registro em pregão da operação de compra ou de venda a vista das ações-objeto da opção.

    • Emissão

      Colocação de dinheiro ou títulos em circulação.

    • Fechamento de posição

      Operação pela qual o lançador de uma opção, pela compra em pregão de uma outra da mesma série, ou o titular, pela venda de opções adquiridas, encerram suas posições ou parte delas. a expressão também é utilizada quando há a realização de operações inversas no mercado futuro.

    • Holding (empresa)

      Aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

    • Indice de lucratividade

      Relação entre o capital atual e o inicial de uma aplicação.

    • Lançador

      No mercado de opções, aquele que vende uma opção, assumindo a obrigação de, se o titular exercer, vender ou comprar o lote de ações-objeto a que se refere

    • Margem

      Montante, fixado pelas bolsas de valores ou caixa de registro e liquidação, a ser depositado em dinheiro, títulos ou valores mobiliários, pelo cliente que efetua uma compra ou uma venda a termo ou a futuro, ou um lançamento a descoberto de opções.

    • Negociação comum

      Aquela realizada em pregão, entre dois representantes de diferentes sociedades corretoras, a um preço ajustado entre ambos.

    • Oferta de direitos

      Oferta feita por uma empresa a seus acionistas, dando-lhes a oportunidade de comprar novas ações por um preço determinado, em geral abaixo do preço corrente do mercado, e dentro de um prazo relativamente curto.

    • P/L

      Veja índice preço/lucro.

    • Quadro de cotações

      Local no recinto de negociações das bolsas de valores onde os diversos preços e quantidades de ações negociadas são apresentados.

    • Recibo de carteira selecionada de ações – RCSA

      É um recibo representativo de um conjunto de ações, cujas quantidades são previamente fixadas e conhecidas antes de sua constituição.

      Uma vez constituídos, os recibos são negociados na bovespa como se fossem um único título.
      Podem ser constituídas carteiras com as mais variadas composições, cada qual direcionada para um determinado perfil de investidor.
      O rcsa permite que o investidor compre ou venda um portfólio de ações por meio de uma única operação.

    • Sala de negociações

      Local adequado ao encontro dos representantes de corretoras de valores e à realização, entre eles, de transações de compra e venda de ações/opções, em mercado livre e aberto.

    • Termo em dólar

      Operação do mercado a termo tradicional, com a diferença de que o preço contratado é corrigido diariamente pela variação entre a taxa de câmbio média de reais por dólar norte-americano, para o período compreendido entre o dia da operação, inclusive, e o dia de encerramento, exclusive.

    • Underwriters

      Instituições financeiras especializadas em operações de lançamento de ações no mercado primário.
      No brasil, tais instituições são, em geral, bancos múltiplos ou bancos de investimento, sociedades distribuidoras e corretoras que mantêm equipes formadas por analistas e técnicos capazes de orientar os empresários, indicando-lhes as condições e a melhor oportunidade para que uma empresa abra seu capital ao público investidor, por meio de operações de lançamento.

    • Valor de exercício da opção

      Preço de exercício por ação, multiplicado pelo número de ações que compõem o lote-padrão de uma opção

Os comentários estão desativados.