Novidades

[Economia em Minutos] Veja o que pode mexer com o mercado nesta terça

12 de setembro de 2017 - por Ação Jovem sem comentários

  • Destaques do dia
    – Ata do Copom reforça expectativa de continuidade corte dos juros.
    – Indústria paulista fechou 2,5 mil vagas em agosto, segundo a Fiesp/Ciesp.
    – Balança comercial registrou superávit de US$ 1,4 bilhão nas duas primeiras semanas de setembro, refletindo o bom desempenho das exportações.

    – Esperamos que o Banco Central da Inglaterra mantenha os juros estáveis nesta quinta-feira, apesar da aceleração da inflação em agosto.

     

    Ata do Copom reforça expectativa de continuidade corte dos juros

    A ata da última reunião do Comitê Política Monetária do Banco Central (Copom) reafirmou o comunicado divulgado após a reunião quando as taxas de juros foram cortadas de 9,25% para 8,25%. Para tanto, o Comitê levou em conta o comportamento da inflação, que permanece bastante favorável, com diversas medidas de inflação subjacente em níveis baixos, inclusive os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária. A ata explicitou que o Comitê acredita que a conjuntura econômica prescreve que a política monetária permaneça estimulativa e que segundo as estimativas do comitê as taxas ex-ante atuais como inferiores à taxa estrutural. O documento apontou como riscos baixistas para o cenário de inflação, os efeitos secundários do choque favorável nos preços dos alimentos e propagação do nível baixo de inflação corrente para a inflação futura. Por outro lado, aponto o aumento dos prêmios de risco com a frustração das reformas e a reversão do cenário externo favorável para os mercados emergentes. Em linha com o comunicado da decisão, o BC sinalizou, para a próxima reunião, uma redução moderada na magnitude de flexibilização monetária, condicional à evolução da conjuntura em linha com o cenário base. Ademais, o Comitê antevê um encerramento gradual do ciclo, o que sugere que deveremos observar quedas de juros ao menos nas duas próximas reuniões. Esse documento reforça nossa expectativa de que a taxa Selic deve encerrar o ano em 7,0%.

    Atividade
    – Fiesp/Ciesp: indústria paulista fechou 2,5 mil vagas em agosto
    A geração de emprego industrial no estado de São Paulo registrou um saldo negativo de 2,5 mil postos de trabalho em agosto, de acordo com os dados divulgados ontem pelo sistema Fiesp/Ciesp. Descontados os efeitos sazonais, o nível de emprego industrial paulista ficou praticamente estável na comparação com julho, com queda de 0,01%. Já na comparação interanual, houve uma retração de 3,3%. Esse resultado reforça nossa expectativa de recuperação lenta do mercado de trabalho ao longo dos próximos trimestres, respondendo de forma defasada à retomada da atividade econômica.

    Setor Externo
    – Balança comercial registrou superávit de US$ 1,4 bilhão nas duas primeiras semanas de setembro, refletindo o bom desempenho das exportações

    O saldo da balança comercial brasileira foi positivo em US$ 1,4 bilhão nas duas primeiras semanas deste mês, que totalizaram cinco dias úteis, de acordo com os dados divulgados ontem pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Esse resultado é equivalente a um superávit de US$ 67,2 bilhões em termos anualizados, levando em conta os ajustes sazonais. No período, as exportações somaram US$ 4,6 bilhões, superando as importações, que alcançaram US$ 3,2 bilhões. Na comparação com as médias diárias do mesmo período de 2016, houve crescimento de 21,2% dos embarques e de 11,5% das compras externas.

    O crescimento das exportações foi explicado pelo aumento das vendas de básicos e manufaturados, ambos de 28,7%. Por outro lado, houve queda nas vendas de semimanufaturados, de 4,7%. Em relação às importações, cresceram os gastos principalmente com adubos e fertilizantes (81,1%) e equipamentos eletroeletrônicos (29,1%). Na margem, excluindo a conta de petróleo, os embarques cresceram 13% enquanto as compras externas cresceram 7%. Assim, o saldo da balança comercial acumulou superávit de US$ 49,5 bilhões no ano.

    Internacional
    – Reino Unido: Apesar da aceleração da inflação em agosto, esperamos que o Banco Central da Inglaterra mantenha os juros estáveis nesta quinta-feira

    O índice de preços ao consumidor do Reino Unido subiu 2,7% em agosto na comparação interanual, de acordo com os dados divulgados hoje pelo ONS. O resultado ficou em linha com a expectativa do mercado e acima da alta de 2,6% registrada em julho. A aceleração da inflação no último mês refletiu principalmente a alta dos preços de vestuário e de combustíveis. Por outro lado, alimentos e bebidas desaceleraram de uma alta de 2,6% em julho para outra de 2,1%.  O indicador de núcleo, que exclui alimentos e energia também subiu para 2,7% em agosto ante alta de 2,4% no mês anterior. Apesar dessa aceleração na inflação no curto prazo, acreditamos que desaceleração da atividade econômica deve motivar o Banco da Inglaterra a manter os juros estáveis na reunião desta quinta-feira.

    Tendências de mercado
    Os mercados acionários operam em alta nesta terça-feira. As bolsas asiáticas fecharam o pregão no campo positivo, com destaque para Tóquio, cujo índice avançou 1,2%. As bolsas europeias operam em alta, impulsionadas pelas ações das empresas de tecnologia, enquanto os índices futuros dos Estados Unidos sinalizam que as bolsas locais devem avançar ao longo do dia. No mercado de divisas, o dólar ganha valor ante o iene e o euro, enquanto a libra apresenta forte apreciação ante o dólar, após surpresa altista com a inflação do Reino Unido.

    No mercado de commodities, as cotações do petróleo seguem em queda, com os mercados ainda focados em analisar os impactos da temporada de furacões nos EUA sobre a produção e refino do produto e à espera do relatório mensal da Opep. As principais commodities agrícolas e metais industriais são negociados em queda.

    No Brasil, o mercado deve reagir às informações contidas na ata do Copom, divulgada há pouco pelo Banco Central. Na agenda de indicadores, o IBGE divulgará a Pesquisa Mensal do Comércio. Esperamos que as vendas no varejo mantenham um ritmo positivo de crescimento, avançando 0,1% na margem, ainda impulsionados pelos saques do FGTS. Além disso, a Conab divulgará seu último levantamento deste ano da safra de grãos.

    Fonte: Economiaemdia.com.br

Comentários