Novidades

[Economia em Minutos] Saiba em 2 minutos o que pode mexer com o mercado esta semana

17 de julho de 2017 - por Ação Jovem sem comentários

  • Expectativas para a taxa de juros em 2017 e para o IPCA deste ano e do próximo foram revisadas para baixo

    A projeção para a taxa de juros deste ano foi revista para baixo, mesmo movimento verificado para a variação do IPCA de 2017 e 2018, segundo as estimativas coletadas até o dia 14 de julho e divulgadas há pouco pelo Relatório Focus do Banco Central. A mediana da taxa Selic recuou de 8,25% para 8,00% para o final de 2017 e permaneceu em 8,00% para 2018. As expectativas para o IPCA recuaram de uma alta de 3,38% para outra de 3,29% para 2017 e de 4,24% para 4,20% para 2018. Já a mediana das projeções para o crescimento do PIB ficou estável em 0,34% para este ano e em 2,00% para o ano que vem. Por fim, a mediana das expectativas para a taxa de câmbio passou de US$/R$ 3,35 para US$/R$ 3,30 para o final deste ano e permaneceu em R$/US$ 3,45 para o final do próximo ano.

    Destaques da Semana 
    Resultados de inflação, que serão conhecidos nesta semana, reforçarão mais uma vez a tendência de desinflação em curso

    O foco do mercado doméstico nos próximos dias se voltará novamente aos dados de inflação, após conhecermos os resultados de atividade de maio na última semana, que reforçaram nossa expectativa de retração do PIB do segundo trimestre. Os dados de inflação, agendados para esta semana, contudo, não devem alterar a tendência de desinflação em curso. Na quinta-feira, o IPCA-15 de julho deverá registrar variação negativa de 0,09%, refletindo o recuo dos preços dos alimentos. Ainda nesse dia serão divulgados o Índice de Confiança do Empresário Industrial e a prévia da Sondagem da Indústria da FGV, ambos referentes a julho. Na sexta-feira, teremos os dados do Balanço de Pagamentos relativos a junho, para os quais esperamos superávit em transações correntes de US$ 1,4 bilhão, enquanto o investimento direto no país deve somar US$ 2,0 bilhões. A receita federal divulgará no decorrer da semana o resultado da arrecadação de impostos e contribuições de junho que, de acordo com nossa estimativa, deve somar R$ 104 bilhões, o que representa um crescimento real de 2,7% ante o mesmo mês de 2016. Também se espera que, nesta semana, seja divulgado o resultado da criação líquida de empregos formais de junho, que, segundo nossas estimativas, deve ter chegado a 10 mil vagas.
    Na agenda externa, após a divulgação dos indicadores da China, os mercados estarão atentos aos próximos passos da política monetária dos países desenvolvidos, diante dos sinais de recuperação da economia global, com baixas pressões inflacionárias. Na Europa, conheceremos os resultados de junho da inflação ao consumidor do Reino Unido, na terça-feira, e da Área do Euro na quarta-feira. No dia seguinte, os Bancos Centrais do Japão e da Europa  realizarão suas reuniões de política monetária, quando devem manter as respectivas taxas de juros e programas de compras de ativos inalterados. Por fim, após a frustação com os dados das vendas do varejo em junho dos Estados Unidos, conhecidos na última sexta-feira, serão divulgados ao longo desta semana os primeiros indicadores de atividade referentes a julho.

    Fonte: Bradesco/ Depec

Comentários