Novidades

[Opinião] Quanto pior, melhor

20 de setembro de 2016 - por Ação Jovem sem comentários

  • crise-financeira

    Por Gabriel Padovesi

    A crise financeira mundial criou um fenômeno que está passando despercebido por todas as pessoas que não são do mercado financeiro: a lei do quanto pior, melhor.

    Por incrível que pareça, as meninas dos olhos dos investidores são notícias ruins!  A economia americana vai mal? Ótimo! Continuam os efeitos da crise na Europa? Perfeito! Japão e China estão patinando? Excelente!

    Isso acontece devido à forma como os Bancos Centrais do mundo todo estão gerenciando a crise desde 2008 – provendo estímulos e mais estímulos às suas economias.

    Até aí, os Bancos Centrais estão certos: se dá pra segurar o tranco e evitar que os países caiam em crises intensas, vale à pena tentar.

    Mas, e os investidores? Eles são correntes na forma como fazem seus investimentos por aí?

    Vou dar um exemplo: a economia americana virtualmente move o mundo. Se os Estados Unidos caírem, a Europa cai, a Ásia cai, a América Latina cai.

    Opa! Notícia boa! A economia americana está melhorando. Como você acha que os investidores devem reagir:

    1. Devem comemorar e acreditar que isso trará bons resultados no mundo todo
    2. Devem desesperadamente vender suas ações

    Se sua resposta foi ‘A’, tamo junto. Mas, não é isso que vem acontecendo.

    Tente entender esse papo de louco:

    Pra ter noção da bagunça, há duas semanas, um dirigente do Banco Central americano disse que achava necessário subir os juros logo por lá. Sabe o que aconteceu? No dia seguinte, uma sexta-feira (09/09), a bolsa aqui caiu 3,71%!

    Daí, na segunda-feira uma outra dirigente falou que não era bem assim, vamos ponderar etc. Adivinha? A bolsa subiu 1%.

     Acha que acabou?

    Até agora, não sabem direito se o Banco Central Americano vai diminuir os estímulos à economia. Por causa disso, na semana passada, a bolsa aqui caiu mais 1,59% (considerando que na 2ª-feira o resultado tinha sido bom).

    É estranho e até um pouco triste, mas essa é a atual situação do mercado financeiro: quando a crise financeira for oficialmente encerrada, ao invés de comemorarmos, vai ser o Deus-nos-acuda aqui no Brasil.

    Gabriel Padovesi, CFP® é Planejador Financeiro Pessoal certificado internacionalmente e MBA em Economia, Investimentos e Mercado Financeiro pela USP. Profissional do mercado financeiro, com passagens pelo segmento de Private Bank, Produtos de Investimento e Consultoria de Investimento, tem o objetivo de aproximar o mundo das finanças dos jovens e do público em geral. Para isso, tem ministrado palestras e participado de congressos de finanças comportamentais para compartilhar um novo olhar sobre o papel dos especialistas financeiros na sociedade.

Comentários