Novidades

O que diversificação tem a ver com Pokémon?

12 de setembro de 2016 - por Ação Jovem sem comentários

  • pokemon-go-11

    Por Gabriel Padovesi

    Apesar dessa febre sobre Pokémon GO, eu gostava mesmo era do jogo de  videogame. O que eu achava mais legal era preparar uma equipe com os seis melhores Pokémon e partir pra porrada com todos os treinadores no caminho.

    Se você passou sua infância a partir da década de 90, provavelmente Pokémon foi parte da sua vida. Você pode ter visto o desenho, jogado o cardgame, o videogame, assistido o filme ou lido os quadrinhos – mas, com certeza você sabe quem é o Pikachu.

    Pikachu é um Pokémon do tipo elétrico, seu principal poder é soltar descargas elétricas, o que é muito bom contra os tipos de água e metal (se além de assistir Pokémon você também foi à escola, deve se lembrar que água e metal são bons condutores elétricos) – mas, não funciona tão bem contra Pokémon de terra ou grama.

    Eu me lembro que quando jogava, passava horas treinando a equipe, fazendo planos de qual Pokémon usar primeiro, qual usar depois e, quando achava que estava pronto, ia nos Ginásios. O Ginásio era o lugar onde eu enfrentaria uma cacetada inimigos fracos com Pokémon de um mesmo tipo – água, por exemplo – e o Gymleader, que era o fodão.

    Daí, cê ia lá com o Pikachu e derrotava 10, 15 Pokémon na sequência, todos com um só golpe. Porque o golpe elétrico arrebenta com Pokémon de água. Até que chegava a vez do chefão.

    E o Pokémon dele era diferente, era de água também, mas tinha uns golpes melhores e, na primeira rodada, tchau Pikachu.

    Se você tivesse sido espertão e montado uma equipe só com Pokémon elétrico, tava ferrado. Ia ser uma lambada atrás da outra.

    Então, quando você já manjava do negócio, escolhia e treinava seis Pokémon diferentes para sua equipe, um elétrico, um de fogo, um de grama, outro de terra… daí dava pra brigar com o Gymleader. Normalmente, você ainda perdia mais um ou dois Pokémon da equipe, mas o saldo final era positivo.

    E aí, de onde você menos espera, vem uma das maiores lições sobre o mercado financeiro: diversificar.

    Diversificar os investimentos é igualzinho a botar seus Pokémon pra lutar: quando tudo estiver normal, talvez até pareça que não é necessário ter investimentos de tipos diferentes. Mas, quando o mercado balança, uma boa diversificação garante que seu dinheiro fique mais seguro e aumenta sua chance de ganhar.

    Gabriel Padovesi, CFP® é Planejador Financeiro Pessoal certificado internacionalmente e MBA em Economia, Investimentos e Mercado Financeiro pela USP. Profissional do mercado financeiro, com passagens pelo segmento de Private Bank, Produtos de Investimento e Consultoria de Investimento, tem o objetivo de aproximar o mundo das finanças dos jovens e do público em geral. Para isso, tem ministrado palestras e participado de congressos de finanças comportamentais para compartilhar um novo olhar sobre o papel dos especialistas financeiros na sociedade.

Comentários