Novidades

[Artigo] “Brasileiros querem viajar, mas bolso não quer deixar”, por Richard Rytenband

23 de fevereiro de 2015 - por Ação Jovem sem comentários

  • Viajar é o principal sonho de consumo do brasileiro, segundo um estudo divulgado no dia 15 de janeiro deste ano pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Mais de 30% dos ouvidos apontaram esse sonho como prioridade, sendo que metade desses indicou viagem para o exterior.

    Este resultado mostra que se dependesse dos brasileiros o número de viagens e gastos no exterior aumentariam ainda mais nos próximos anos, mas o atual momento econômico não é nada favorável para estes sonhadores.

    O gráfico abaixo ajuda a entender porque muitos terão que abrir mão deste sonho pelo menos por um tempo.

    A curva azul representa as despesas dos brasileiros em viagens ao exterior  e a curva laranja o rendimento do trabalhador nos grandes centros em dólares
    De 2003 a até o final de 2012 o rendimento em dólar cresceu num ritmo superior as despesas (o que permitiu que os brasileiros viajassem e gastassem cada vez mais no exterior).

    Mas com a desvalorização do real, o rendimento em dólares passou a cair e não mais acompanhar o ritmo das despesas no exterior.
    Com o cenário atual de recessão, aumento do desemprego, continuação da desvalorização do real e a elevação de preços administrados (que reduz renda disponível para lazer) em algum momento as despesas no exterior vão cair e se alinhar ao patamar dos rendimentos. Este será mais um dos ajustes que a economia brasileira experimentará neste e no próximo ano.

    Nos últimos anos viajar, fazer um intercâmbio parecia algo próximo e dentro da realidade orçamentária da maioria, mas nos últimos trimestres os ventos favoráveis se foram, e quem não ajustar a posição das velas pode ir de encontro a tempestade.

    O gráfico da inadimplência das pessoas físicas no cartão de crédito tem subido rapidamente nos últimos meses, e como a maioria dos brasileiros tem utilizado este meio de pagamento no exterior, este pode ser mais um indicativo que a situação já está passou do limite.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Comentários