Novidades

Murilo Portugal conta o que espera para a economia no 1º ‘Personalidades em Ação’ de 2015

6 de fevereiro de 2015 - por Ação Jovem sem comentários

  • É inegável que o Brasil ainda tem muitos obstáculos para vencer, especialmente neste ano de ajustes importantes. A despeito disso, Murilo Portugal, presidente da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) vê melhorias. “O ano de 2016 será muito melhor para o Brasil do que será 2015”. No 1º ‘Personalidades em Ação’ de 2015, do Ação Jovem, Murilo contou um pouco da sua experiência à frente de uma importante entidade do mercado financeiro, expôs sua visão sobre os problemas de curto e médio prazo que o Brasil precisa lidar e como o ambiente externo pode influenciar a atividade econômica nacional.

    “No curto prazo precisamos fazer ajustes macroeconômicos, como a consolidação fiscal, trazer a inflação para o centro da meta. No médio prazo, aumentarmos a taxa de crescimento de produtividade, que é o principal motor do crescimento econômico, e aumentar a taxa de investimento”, pontuou. Ele também destacou o investimento na qualidade da educação como prioridade, não apenas por ela estar diretamente ligada à melhora da produtividade do trabalho, mas também por ampliar a igualdade de oportunidades das pessoas.

    Para ele, a escolha de Joaquim Levy, com quem já trabalhou, para o cargo de ministro da Fazenda foi acertada. “Eu trabalhei com Levy e conheço sua solidez, talento, capacidade intelectual e tenacidade. Estou otimista com a contribuição que ele vai trazer ao Brasil”. Murilo comentou da boa atuação do ministro como secretário do Tesouro Nacional (2003 – 2006), quando ajudou a promover um dos maiores ajustes fiscais já realizados no país. Depois, entre 2007 e 2010, como secretário da Fazenda no Rio de Janeiro, fez o Estado ser o primeiro do Brasil a ganhar o grau de investimento da agência Standard and Poor’s (S&P). “Estou bastante confiante com a atuação dele”, disse Murilo sobre o colega.

    O presidente da Febraban aproveitou ainda o encontro para dar dicas para os jovens que estão entrando agora no mercado financeiro. “Certamente é uma boa formação universitária é importante, assim como se manter atualizado”, diz. Ele reiterou ainda que trabalhar com dedicação e absorver conhecimento de pessoas mais experientes também é fundamental.

    Por fim, ele contou um pouco sobre as iniciativas de educação financeira das quais tem participado à frente da Febraban e destacou saber usar o crédito, conhecer o mercado financeiro e como usá-lo (seguros, riscos, previdência) ajuda – muito – a vida das pessoas.

    “Crédito pode ser uma ferramenta muito importante para melhorar a vida das pessoas, ajudando-as a antecipar seus sonhos”, diz. Mas, claro, com responsabilidade, sempre!

Comentários