Novidades

Artigo: “Sinal de alerta: 10 sintomas do endividamento” – Por Wilson Justo

25 de setembro de 2014 - por Ação Jovem sem comentários

  • Por Wilson Justo

    Conheça alguns indícios de que sua vida financeira não anda bem

    Segundo estudo da Serasa Experian, o número de inadimplentes no país é recorde em 2014. Até agosto, 57 milhões de pessoas já apresentam contas em atraso. Impulsividade no momento do consumo ou na hora de contrair novas linhas de crédito é um dos principais fatores acabam levando o consumidor literalmente ao vermelho.

    Mas o que fazer para não chegar ao ponto de ter que fugir dos credores? Se você já está endividado, mas ainda não está inadimplente, fique atento, pois a sua situação é bastante suscetível ao descontrole financeiro. Portanto, é hora de parar e refletir. O endividado, diferentemente do inadimplente, ainda não tem contas em atraso, mas tem dívidas programadas. Entre essas dívidas normalmente estão o cartão de crédito, cheque especial, carnês de lojas, empréstimos e prestações de carro, seguros ou imóveis. Qualquer passo em falso ou imprevisto podem ser fatais.

    Para Wilson Justo, diretor de Marketing e Relacionamento com o Cliente da Sorocred, as famílias devem estabelecer um limite para essas dívidas, para que os juros não comprometam muito o orçamento familiar. “É importante fazer um diagnóstico e ter o controle das suas despesas. Se o endividamento for alto é preciso rever as contas imediatamente, para não pagar muito juros. Na maioria dos casos, vale economizar por um tempo e comprar à vista depois”,  alerta o executivo.

    Ainda de acordo com os dados da Serasa, o parcelamento de compras com juros elevados (como de imóveis e carros) e as altas taxas cobradas pelo uso do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito são alguns dos principais vilões neste cenário. “O cartão de crédito é um ótimo instrumento,  é prático e seguro, mas sempre deve ser usado com cuidado. Parcelar a fatura do cartão deve ser uma das últimas alternativas. Já o parcelamento no momento da compra pode ser uma boa opção, caso não seja acrescida de juros”, completa Justo.

    Para saber se você está entrando no grupo dos endividados ou se já faz parte dele, Wilson Justo aponta 10 sintomas clássicos, que podem ser considerados fortes sinais de alerta. Confira:

    1)      Você faz promessas de redução de gastos mesmo com um comportamento de compras pouco controlado;

    2)      Pequenos deslizes no controle do orçamento deixam de ser pequenos;

    3)      A somatória das despesas fixas ultrapassam 70% do salário líquido;

    4)      O limite do cartão de crédito passa a ser insuficiente para as compras, pois está tomado com compras parceladas;

    5)      Você passa a atuar com mais um cartão de crédito e utiliza linhas de crédito complementares, como o cheque especial, para passar o mês;

    6)      Você começa a pagar dívidas com atraso e entra no rotativo do cartão de crédito;

    7)      Inicia processos de renegociação de dívidas;

    8)      Interrompe pagamentos de renegociações;

    9)      Tem que privilegiar pagamentos de contas mais importantes, como aluguel, escola e contas de consumo;

    10)   É obrigado e se desfazer de bens quitados, por valores menores que os de mercado, para saldar dívidas.

Comentários