Novidades

Carreira de Finanças para Jovens Executivos – confira como foi o evento do IBEF Jovem e veja dicas valiosas para se preparar

1 de novembro de 2012 - por Ação Jovem sem comentários

  • Por Diego Rato
    Conselheiro do Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais


    Nesta segunda-feira à noite, dia 29 de outubro, o Ação Jovem esteve presente no evento CARREIRA DE FINANÇAS PARA JOVENS EXECUTIVOS: Tendências e Oportunidades, organizado pelo nosso parceiros IBEF Jovem.

    O evento muito bem moderado por José Claudio Securato, Vice-Presidente do IBEF-SP e Diretor Presidente da Saint Paul Escola de Negócios, que contou com a presença de executivos, que apesar de novos, já ocupam cargos de destaque em algumas das maiores empresas de atuação no Brasil. Daniel Levy, Vice-Presidente de Finanças e Gestão da Tam, Edmundo Balthazar, CFO do Google Brasil, Marcelo de Lucca, Diretor Executivo da Michael Page e Luiz Ponzoni, Sócio de Human Capital Advisory da PwC, foram os convidados da noite.

    O evento iniciou com um painel de debates com perguntas previamente preparadas pelo moderador e encerrou com perguntas feitas pelos participantes.

    Dentre a enorme quantidade de informações valiosas compartilhadas pelos convidados como histórias de vida, experiências profissionais, aprendizados na carreira e até conselhos, o Ação Jovem separou alguns pontos interessantes para quem pretende ser um executivo de sucesso em finanças.

    Ter fluência no Inglês é essencial para quem almeja um cargo de executivo na área de finanças, mas disso todos já sabem. Mas outros dois pontos interessantes sobre idiomas foram citados durante os debates. O espanhol tem ganhado cada vez mais importância, dado que o Brasil tem se consolidado cada vez mais como líder econômico da América do Sul e é um dos únicos países que não tem esse idioma como oficial. Com isso, muitos executivos brasileiros têm assumido papéis de lideres no continente e para isso o espanhol é essencial. O outro ponto, não surpreendentemente, foi sobre o Mandarin, afinal as relações com a China vem aumentando cada vez mais e hoje 1 em cada 7 pessoas no mundo fala esse idioma.

    Com relação a Pós-Graduação e MBA muito foi-se discutido também, principalmente sobre se fazê-los dentro ou fora do Brasil e sobre qual a melhor época. Um ponto que foi frisado é que independente da complementação escolhida (Pós, Mestrado, MBA) ajuda muito não emendá-la na graduação, pois com a experiência profissional acaba-se aproveitando muito mais os cursos, obviamente isso não é regra e influencia muito também a dedicação do aluno, a escolha por uma instituição séria e de renome no mercado. Com relação a cursos fora do país, é muito interessante, principalmente pela experiência de vida que será proporcionada pela mudança de cultura, idioma e valores, no entanto, é uma escolha que cabe a cada um fazer a sua avaliação.

    Um ponto muito interessante levantado pelas perguntas da plateia, dado que quase todos os executivos que faziam parte da mesa tinham tido experiências internacionais ou com executivos do mundo todo, foi o questionamento sobre qual o ponto forte e fraco dos profissionais brasileiros. Apesar de todos darem sua resposta pessoal, chegou-se em um consenso que a maior vantagem dos brasileiros é ter uma percepção muito positiva das coisas e ser muito resiliente. Já a nossa fraqueza é a falta de disciplina e planejamento nas ações, já que entregamos as coisas, mas do jeitinho brasileiro, na correria.

    Para concluir o evento, cada um dos palestrantes deixou a sua mensagem a todos que pretendem se destacar na vida profissional. Buscar os sonhos profissionais, lembrando-se de conciliá-los com os pessoais, fazendo isso com planejamento e sabendo que será por meio de um caminho longo, com acertos e erros foi o conselho do CFO do Google Brasil. Já o Vice-Presidente de Finanças e Gestão da Tam focou muito na importância de se assumir riscos, desde que com consciência. Para finalizar o Sócio de Human Capital Advisory da PwC realçou a importância de se investir em relacionamentos de longo prazo, pois isso pode ajudar muito no futuro da sua carreira.

     

     


Comentários