Novidades

“Sonhar pequeno não adianta nada. Temos que sonhar grande”

14 de setembro de 2012 - por Ação Jovem sem comentários

  • Essa frase foi dita por Antonio Bonchristiano, que participou nesta terça-feira dia 11 de setembro de um evento promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp, do qual o Ação Jovem (AJMC) marcou presença. Antonio Bonchristiano falou sobre sua carreia, as influências profissionais, deu dicas para jovens empreendedores serem bem sucedidos em suas empreitadas e também comentou sobre os próximos passos de sua gestora de participação, a GP Investments, líder do mercado de private equity.

    Como co-presidente do Conselho e co-CEO da GP, o empresário acumula casos de sucesso, a exemplo do Submarino.com, varejista online que é hoje um dos maiores players do seu setor e que teve Bonchristiano entre seus criadores. Nos 20 anos de existência da gestora, já foram investidos US$ 4 bilhões em 50 companhias, sendo que apenas 10 continuam em seu portifólio, entre elas Tempo Participações (saúde), Estácio Universidades (educação), LBR (lácteos), Allis S.A. (RH e terceirização), BHG (hotelaria), Sascar (automotivo) e BRZ Investimentos (participações).

    O próximo passo da GP Investments será um fundo imobiliário que está sendo estruturado para este ano e, para 2013, a GP quer montar um fundo de infraestrutura. A gestora quer aproveitar as oportunidades que o governo está anunciando na área de infraestrutura e logística. Os fundos da GP compram controles ou 100% de empresas nas quais vêem potencial de crescimento muito acima do que elas estejam apresentando.

    Recentemente, a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, anunciou o primeiro pacote no setor de infraestrutura, voltado para concessões de rodovias e ferrovias. Nas próximas semanas, o governo deve anunciar um segundo plano para estimular investimentos privados em aeroportos e portos. Para desenvolver a área foi criada também uma empresa para gerenciar os pacotes e fiscalizar o cumprimento dos prazos, a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), comandada por Bernardo Figueiredo, ex-presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

    Luciano Coutinho, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), também já afirmou que o banco tem interesse em trabalhar junto com o mercado de capitais para estimular as emissões de debêntures, especialmente relacionadas à infraestrutura, mais uma amostra da importância que o governo está dando para o setor.

    Depois de passar 10 anos na Inglaterra, onde estudou em Oxford e trabalhou na Johnston Associates, uma empresa de consultoria financeira com sede em Londres, Bonchristiano voltou ao Brasil, onde construiu carreira no setor privado e foi um dos criadores do Submarino.com. O empresário entrou na GP Investiments em 1992. Em 2003, comprou com outros sócios o controle da companhia de seus fundadores: os empresários Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, sócios da AB Inbev e que também estão à frente da 3G Investimentos, empresa brasileira de participações que controla a rede americana de fast-food Burger King.

    Valores

    Durante pouco mais de uma hora, Bonchristiano contou experiências que fizeram diferença em sua vida profissional e pessoal, como as intensas aulas de matemática para passar em um colégio conceituado de São Paulo (SP) e os próprios ensinamentos dentro da GP, com seus fundadores, Lemann, Telles e Sicupira.

    Ele explicou um pouco dos valores que regem seus negócios na GP Investments e sobre a importância de disseminar os conceitos internamente e garantir que o conhecimento esteja acessível a todos os funcionários. “Uma empresa não pode se resumir a uma pessoa. Se alguém é insubstituível também é ‘impromovível’. Precisamos desenvolver a capacidade de multiplicar o conhecimento”, disse.

    “Para uma empresa ser bem sucedida e perene precisa ter uma cultura forte disseminada internamente. Todos os funcionários têm de ter acesso ao conhecimento e precisa saber gerar talentos e mantê-los. Inocular os valores da companhia em seus funcionários e garantir que continuem a ser repassados é fundamental, além da meritocracia, que premeia quem se destaca. O injusto é tratar como igual quem é diferente”, afirmou.

    Outro princípio muito claro e importante para o executivo é “Nada é impossível”. Ele destacou que “sonhar pequeno não adianta nada. Temos de sonhar grande.”

    Os valores da GP são:
    – Meritocracia
    – Confiança
    – Time
    – Trabalho de qualidade
    – Dividir sucesso
    – Compartilhar o conhecimento
    – Ética
    – Simplicidade
    – Excelência das pessoas
    – Paranoia pelo resultado
    – Difusão da cultura
    – Nada é impossível

    Mercados

    Em sua opinião, para a indústria de private equity e venture capital (fundos que investem em empresas emergentes) se desenvolver no Brasil é preciso aumentar o acesso ao mercado de capitais e a própria saída do investimento via bolsa de valores, por meio da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês). Ele conta que no Brasil, só empresas de grande porte conseguem entrar na bolsa, diferentemente da China, onde as ofertas iniciais captam, em média, 50 milhões de dólares – contra 500 milhões de dólares da média brasileira.

    “O governo pegou para si toda a poupança interna nos últimos 30 anos. Para estimular os investimentos em empresas, é preciso que a taxa básica de juros (Selic) permaneça baixa por bastante tempo, o que faria com que os investidores busquem remunerações melhores, tomem mais risco e não invistam apenas em renda fixa”, afirmou.

    Educação

    O empresário comentou que outro problema grave do Brasil é a educação básica, que temos universidades suficientes e boas, mas que falta o ensino de base, que permita que o universitário se desenvolva. “Hoje a possibilidade que as novas ferramentas digitais nos dão para fazer cursos online são imensas e não aproveitamos quase nada. Há um potencial imenso aí”, finaliza.

Comentários