Novidades

Planos de previdência: o seu plano para o futuro

26 de dezembro de 2011 - por Ação Jovem sem comentários

  • Verão é a melhor época do ano para descansar e viajar. Infelizmente nem todo mundo está de férias no trabalho. Se você é uma dessas pessoas, com certeza não vai querer ficar trabalhando no verão para o resto da vida, certo? Que tal então planejar a sua aposentadoria?

    No dicionário, “previdente” é aquele indivíduo que se previne e toma medidas antecipadas para evitar transtornos. Quem pensou em investir em plano de previdência já se deparou com as seguintes siglas: PGBL e VGBL. Estas siglas são planos de previdência administradas por companhias seguradoras. Na real, eles se parecem com os fundos de investimentos tradicionais já que não garantem retorno mínimo, investem os recursos em fundos especialmente constituídos e com regras específicas, não exigem aplicações periódicas e divulgam as cotas em jornais de grande circulação, entre outros.

    Agora vamos lá, o que significam estas siglas?
    PGBL = Plano Gerador de Benefício Livre
    VGBL = Vida Gerador de Benefício Livre.

    Estes planos previdenciários permitem que você acumule recursos por um prazo contratado. Durante esse período, o dinheiro depositado vai sendo investido e rentabilizado pela seguradora escolhida por você.

    A principal diferença entre PGBL e VGBL é na tributação. Mas pera aí, como escolher entre PGBL e VGBL? Qual plano se encaixa ao meu perfil?

    O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é para quem:

    - tem renda tributável (assalariado),

    - é contribuinte da previdência oficial e, além disso,

    - declara o imposto de renda no modelo completo.

    No PGBL você pode deduzir o valor das contribuições da sua base de cálculo do Imposto de Renda, com limite de 12% da sua renda bruta anual. Assim, poderá reduzir o valor do imposto a pagar ou aumentar sua restituição de Imposto de Renda (IR).

    Exemplo: O contribuinte tem um rendimento bruto anual de R$ 100 mil. Com o PGBL, ele poderá declarar ao Leão R$ 88 mil. O IR sobre os R$ 12 mil restantes, aplicados em PGBL, só será pago no resgate desse dinheiro. Mas atenção: esse benefício fiscal só é vantajoso para aqueles que fazem a declaração do Imposto de Renda pelo formulário completo e são tributados na fonte.

    VGBL é para quem:

    - declara Imposto de Renda (IR) no modelo simplificado,

    - já contribui com o teto recomendado de 12% da renda num PGBL,

    - não tem rendimento tributável na declaração de ajuste anual ou é isento.

    Para quem faz declaração simplificada ou não é tributado na fonte, como autônomos, o VGBL é ideal. Ele é indicado também para quem deseja diversificar seus investimentos ou para quem deseja aplicar mais de 12% de sua renda bruta em previdência. Isto porque, em um VGBL, a tributação acontece apenas sobre o ganho de capital.

    A taxa de administração dos planos de previdência é cobrada anualmente sobre o valor total da aplicação e varia de 1,5 a 2%. Já a taxa de carregamento (compensação da instituição financeira pelas despesas com corretagem e venda do plano) é cobrada em cima do valor aplicado mensalmente, tem valor médio de 3%, podendo chegar a 5%. Por exemplo, se a taxa for de 3%, para cada R$ 100 aplicados, somente R$ 97 ficarão à sua disposição para acúmulo no fundo.


    Independente da sua condição econômica, a previdência privada pode ser uma opção muito vantajosa de investimento e não deve ser encarada apenas como aposentadoria. Além de, claro, ser uma garantia de um futuro financeiramente melhor.

Comentários